As velas do meio do ano – 1


O meio do ano é um período interessante demais para mim. Não sou uma pessoa mística (mentira, sou sim!), mas do final de junho até o final de julho muita coisa acontece, como se o meio do ano marcasse um momento de transição e de balanço para refletir. Recentemente meus pais comemoraram mais um aniversário. … Continuar lendo As velas do meio do ano – 1

O olhar e a fogueira


Começo pedindo desculpas aos meus leitores, não tenho a intenção de dizer que um dia as coisas foram melhores, são apenas diferentes. Ele era menino na época em que intimidade era beijar na boca e conseguir roçar na pele da menina, sem saber se havia conquistado aquele espaço ou se ela não tinha notado o … Continuar lendo O olhar e a fogueira

Raridades e reencontros


Há pouco, a voz do Lenine jogou umas pílulas de sabedoria no meu ouvido: “A vida é tão rara”, “a vida não para”, “o corpo pede um pouco mais de alma”, “e tudo pede um pouco mais de calma”. Versos, filmes, narrativas. Tudo isso me compõe de uma forma que não sei explicar, mas as … Continuar lendo Raridades e reencontros

Sob a pena


É difícil precisarmos exatamente quando começamos ou o que nos motivou a determinados caminhos na vida. Escrever, por exemplo, é uma necessidade para mim, muito mais que um hábito. Consigo não escrever, não é um hábito como minha rotina de café ou banho, por exemplo. Mas ficar sem escrever me causa angústia. Ver que estou … Continuar lendo Sob a pena

Pérolas


Já me disseram que tenho uma memória boa, mas fico na dúvida sobre o que “boa” significa. Nem sempre lembrar de bastante coisa é algo bom, em especial se não houver seletividade. Ontem antes de deitar, passando pelos canais da TV, parei em um programa de duvidosa efetividade para audiência. Um professor com um tique … Continuar lendo Pérolas

Amarelinha


Eu lembro com saudades de algumas coisas que trazem sensações deliciosas, outras ainda existem no meu dia a dia e continuam a mexer comigo. Céu Lembro de adorar ficar olhando o céu de outono. Ele costumava ser mais limpo que o de verão e não tão quente, mas bem azul. Lembro de amar noites de … Continuar lendo Amarelinha

O suspiro das noites


E aqui chegamos a mais um final de ano, tido como data simbólica de encerramento de um período. Pouca mudança se vê, na verdade, na natureza de um dia para o outro, é como se ela não notasse que o ano virou, que uma era se encerra e uma outra se inicia, mas para nós … Continuar lendo O suspiro das noites

Sucos, saudades, verdades


Beep! R$2,50. Beep! R$10,35. Beep! R$3,47. Os produtos passavam pela luz vermelha constante e a tela reluzente apontava os valores a serem pagos individualmente e, no rodapé, somados. – Agora elas vêm com nome! – Perdão? – retruquei eu um pouco distraído. – Elas agora vêm com nome. Todo mundo quer achar uma que tenha … Continuar lendo Sucos, saudades, verdades