Entre saudades e responsabilidades


Os garotos viraram os homens da casa. Os desesperos são mais intensos, os fracassos batem à porta e precisamos batalhar diariamente. O grande medo é termos pessoas dependendo de nós e não conseguirmos suprir, esta é a grande resolução, tentar equilibrar a vida entre tantas armadilhas e abismos.

Seja isso o que for


Escrevo, converso, dou risadas, gosto de ver despencar sorrisos daqueles que amo e desejo bem, e curto abraços, fortes, apertados, com vontade, e com boas palavras sussurradas ao ouvido

Ainda melhor que a morte


Poemas contra o fim do mundo. A salvação lírica:

Às vezes, é preciso rir para não chorar
Outras ir para poder ficar
Às vezes nosso amor é uma vingança
Outras é prisão sem chave, sem fiança…

O que descobri


Me permiti fazer algo que quase ninguém fez naquele momento: escutei os mais velhos, suas canções, prestei atenção às suas histórias, suas vidas, ensinamentos, erros, seus filmes e o que os transformou no que eram. Reconheci suas dores, narrativas e como a vida tem um pouco de si mesma em tudo que vive, ou seja, o que estavam me vendendo, de que eu era diferente de todos que já estiveram por aqui por ser jovem, era mentira!

A verdade do “viadinho”


Não é a palavra, é a atitude. Tem muito “viadinho” pagando de macho alfa, de romântico, de mulher empoderada, de influencer, de professor, coach, chefe e, o pior: muito viadinho pagando de amigo, de amiga, de gente em que se pode confiar, mas que não deveríamos.

Não se pode dizer exatamente que…


De que vale?
Casaram sem serem arrebatados pela paixão. Cecil trabalhou sem ser tomado pela ânsia do propósito. Frequentaram jantares sem nunca se embriagarem, se perderem numa dança deliciosa e sem cantar em voz alta uma música que mexesse com o coração.