Linhas para eternidade: dia do escritor

Hoje é dia daqueles que não se contentaram com a simples objetividade das palavras, que perceberam que havia mais mundos nas entrelinhas do que apenas os anunciados.

Data para celebrar as pessoas que eternizam histórias, que destacam o ordinário como magnífico e o mágico como comum. Através dos rabiscos do lápis, da pena, da caneta, dos dedos teclando ou deslizando em telas, vidas são criadas!

Para quem acredita, talvez seja aquele primeiro sopro de vida que o criador nos deu que nos faça querer imitá-lo. Nomeamos coisas, construímos tramas, criamos universos.

Escrever é um ato de mão dupla que nos faz olhar para dentro e para fora ao mesmo tempo. É um cuidado com nossos pensamentos, ideias, sentimentos. É uma maneira de organizarmos o mundo interior quando o colocamos no papel, na tela em branco, quando as letras vão dando forma ao que antes parecia apenas um misto confuso do palpitar de nossos corações influenciados pela nossa mente agitada.

Por um lado, escrever é a necessidade que temos de dizer algo, de colocar para além de nós uma perspectiva. Por outro, é um cuidado com as pessoas. Interessa como vão receber aquelas palavras, que efeito terão nelas, se me fiz claro, se toquei um coração, se ajudei, se de alguma forma fui útil ao mostrar que também senti algo, que os personagens somos nós mesmos. Mostrar que dá para sermos melhores, para crescer, mas que tudo bem errar, aprender, recomeçar.

Escrever é cuidar e servir pessoas a partir do que temos de mais íntimo, é se expor e se fragilizar diante do mundo para tentar fazer o mundo um pouco melhor, mais acolhedor, reflexivo. É agitar as mentes para pedir calma. É fazer apaixonar para curar peitos rasgados. É dar aventura para curar vidas tediosas. É dar um pouco de tédio para acalmar os ansiosos. É, por fim, dar um pouco de nós mesmos para os outros enquanto mostramos como cada pessoa nos modificou. É uma maneira de curar e de agradecer, mesmo que às vezes a gente se machuque um pouco no processo.

Aproveito este dia 25 de julho para parabenizar a cada escritor e escritora que há por aí, revelados ou não, pois muitos são tímidos, a dica é: apareçam! Ao se mostrar um pouco, muita coisa acontece.

Aproveito para agradecer a cada escritor e escritora, vivos ou não, que nem sabem quantas vezes salvaram minha vida, seja pelas palavras, pelo encanto, por uma rima, ou por me fazer tentar um pouco mais.

Também agradeço a cada amigo e amiga ou aos desconhecidos que resolveram ler minhas singelas linhas. Se algo do que fiz teve proveito, saibam que isso já valeu minha vida.

A cada palavra que colocamos para fora e que parece tão efêmera, estamos, de alguma maneira, nos eternizando. Seja em papéis, seja nas pessoas.

Um feliz dia do escritor a todos!

Publicado por

RDS

Jornalista, escritor, metido a poeta e comediante. Adorador de filmes e livros, quem sabe um filósofo desocupado. Romântico incorrigível. Um menino que começou a ter barba. Filho de italianos, mas brasileiro. Emotivo, sarcástico e crítico, mas só às vezes.

Um comentário em “Linhas para eternidade: dia do escritor

  1. Sempre sendo um grande escritor, que adoça nossos corações com sua escrita, parabéns pelo seu dia, que venha muitos livros para continuarmos entrando no universo perfeito. Parabéns ❤️

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s