Meu véio

IMG_20160129_202254785

Na dança contínua da vida
Bailamos trôpegos e errantes
Quando jovens, na lida.
E à frente, entre decisões e amantes

Na infância, custamos a admitir
E nos esquivamos de seus conselhos
Para depois voltar e concluir
Que os queremos como espelhos

Passamos tempo demais
Tentando encontrar outros heróis
E basta olhar para nossos pais
E saber que sempre estiveram junto a nós

Daí crescemos e fingimos maturidade
Como se soubéssemos o que fazer
E mesmo nessa meia idade
A vontade é deixá-los a tudo responder

Mesmo entendendo que são como a gente,
Que arriscam, erram e apostam cegamente
Com eles ao lado é “Bola pra frente”
Segue o jogo da vida, não perturbe sua mente

Porto seguro pelo nosso sentir
Abraço carinhoso nas idas e vindas
Papo gostoso que queremos ouvir,
Com uma breja, no fim de uma tarde linda

E esse texto é um disfarce
De quem só queria dizer obrigado,
Perto, Longe ou face a face,
Por tudo na vida, em tê-lo a meu lado

Podemos mostrar marra
Mas o amor é maior que o lamento
Bora segurar a barra
E lembrar dos bons e maus momentos

Pois contigo dá para enfrentar
Você ensinou direito
Fecha a cara, espreme o olhar
Porque pra tudo na vida dá-se um jeito

Adversidade é moleza
Ninguém é bravo pra nós o bastante
Ganhe no sorriso ou na firmeza
E no peito um só é importante…

É quem levanta quando cai
Sorri quando era “ai”
Entra quando era “sai”
E era menino, mas virou pai!

Pois mesmo que vamos longe e mais além
Há algo que não muda nessa dança
Aquele cara perto de quem
Sempre nos sentiremos criança

Valeu, véio!

Uma vez
Mensal
Anualmente

Faça uma doação única

Faça uma doação mensal

Faça uma doação anual

Escolha um valor

R$5,00
R$10,00
R$50,00
R$5,00
R$15,00
R$50,00
R$5,00
R$15,00
R$50,00

Ou insira uma quantia personalizada

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Faça uma doaçãoDoar mensalmenteDoar anualmente

Publicado por

RDS

Jornalista, escritor, metido a poeta e comediante. Adorador de filmes e livros, quem sabe um filósofo desocupado. Romântico incorrigível. Um menino que começou a ter barba. Filho de italianos, mas brasileiro. Emotivo, sarcástico e crítico, mas só às vezes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s