Canção do resigno

Salve Gonçalves

sampa

Minha terra tem asfalto,
Onde grita o trafegar;
Os carros, que aqui rodeiam,
Não rodeiam como lá.

Nosso céu tem mais cinzas,
Nossas ruas têm mais gentes,
Nossos peitos têm mais gritos,
Nossa “ilha” é bem mais quente.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem asfalto

Onde grita o trafegar.

Minha terra tem problemas,
Que tais não encontro eu cá;
Mas em cismar – sozinho, à noite –
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem asfalto,
Onde grita o trafegar.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Minha Sampa, tão São Paulo,

Que tanta crise me dá.

Não permita Deus que eu morra,

Sem que eu ainda me veja lá;

Sem qu’inda aviste as ruas,
Onde grita o trafegar.

 

 

daqui

Publicado por

RDS

Jornalista, escritor, metido a poeta e comediante. Adorador de filmes e livros, quem sabe um filósofo desocupado. Romântico incorrigível. Um menino que começou a ter barba. Filho de italianos, mas brasileiro. Emotivo, sarcástico e crítico, mas só às vezes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s